terça-feira, 10 de agosto de 2010

Religiosa e fervorosamente

Eu costumo conversar com as pessoas e elas pensam que sou um bom ouvinte enquanto eu penso que não tenho uma história melhor para entretê-las. E me calo. Num dia ouvi os anos se passaram mas ainda fantasio se ele ainda pensa em mim, se ainda pensa em mim todos os dias, religiosamente, fervorosamente, viciadamente. Não me canso de me surpreender com a ingenuidade das pessoas. Nestes momentos, repentinamente, a minha mais fria aproximação se ergue e digo certamente que não. A obviedade choca. Tento ajudar a recuperarem a respiração naquele confessionário improvisado. Sempre achei bizarro que as pessoas esperem respostas prontas, quase previamente combinadas, sobre suas mazelas.

2 comentários:

Fernanda S. disse...

As pessoas contam suas histórias às outras sem esperar por respostas inesperadas, sem esperar pelas verdadeiras respostas... às vezes elas só querem "respostas prontas" para amenizar a realidade e ainda deixar que a possibilidade esteja por ali, escondida em algum lugar!
Beijos, querido =)

Caco disse...

É Fê, é por aí mesmo.
Beijoca.