domingo, 8 de agosto de 2010

Na madrugada fria de agosto

Refastelou-se no bar. Deu risadas e jogou sua cabeça para trás. Olhou para alguém localizado às 03:00. Conversou com o da esquerda e a da direita. Bebericou bebeu experimentou do copo de alguém. Petiscou com palitos com garfos com as mãos. A conta seria por sua conta, após alguns protestos. Bateu com a mão no bolso de trás do jeans. Bolso da direita. Da esquerda. Frente direita e frente esquerda. Nada além das chaves do carro e umas moedas no bolso de moedas que nem havia vasculhado. Bloody hell Havia esquecido perdido a carteira em algum canto. Sentou-se e pediu mais uma rodada. Que seguiu-se a outra. E deu aquela vontade de um desespero urgente de ir ao banheiro. Acordou na madrugada fria, colocou seu chinelo e foi até o banheiro. Na volta, aninhou-se sob as cobertas na esperança de encontrar a carteira e honrar a dívida contraída no sonho. Pelo menos rendeu uns chopps a mais.

Um comentário:

Deka disse...

hahahaha
Adorei essa Caco.
Tem andado inspirado esses dias heins.. muito bom mesmo!