domingo, 16 de maio de 2010

Das pirâmides, efígies e obeliscos

De nada vale a sua história, foi o que ouvi. O que conta é tão somente a ação de hoje e a perspectiva de amanhã. E este prazo à vencer pareceu-me tão etéreo como contar com o rendimento da bolsa de valores: garantia nula. Uma subjetiva aposta no infinito sem premissas, sem dados, sem memória de cálculo. O choque que sofri, transformei em uma qualificação: absurdo. Ora, pode-se construir pirâmides, efígies, obeliscos. Perenes serão, mesmo sob risco da ruína pelo tempo ou mesmo de alguma guerra nuclear. Será que tê-los construído alçará seu idealizador à mesma imortalidade? Para uns, parece que não. Eu acho que sim. Seremos lembrados, sim, por termos imprimido uma marca neste mundo. E eu, eu apresento o mais profundo respeito a quem deixou um legado, a quem tem uma história para contar.

2 comentários:

Nana disse...

Aquilo que a gente faz na vida ecoa na eternidade, sempre.

Caco disse...

Será que os Outros estão tão errados assim?