quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Quinta sem lei

Assisti ao Maria Antonieta, da Coppola. Vazio, como um doce bonito, vazio, bonito de se ver. A trilha é irresistível. Fiquei com vontade de comer doce. E então, vai um doce daí?

I know a girl who's tough but sweet. She's so fine she can't be beat. She's got everything that I desire, sets the Summer sun on fire. I want Candy. Go to see her when the sun goes down. Ain't no finer girl in town. You're my girl, what the doctor ordered. So sweet, you make my mouth water. I want Candy.

3 comentários:

milena disse...

Caco,

todo pop é doce.
isso não significa que seja ruim.
eu gosto da coppola.
mas é claro que virgens suicidas e encontros e desencontros são filmes muito mais perturbadores...

um abraço.

Caco disse...

Não, Milena, não leia que eu tenha achado ruim. De jeito maneira!
Eu gostei. Só não há profundidade, não há aftertaste.

Vivi 'Lost in translation' enquanto morei no Japão. Poderia ter sido eu um personagem, e entendo empatizo adoro o filme.

Kyoto. Kyoto-desu. Kyoto.

Beijodaí.

Maria disse...

eu gostei. esse filme marcou um momento da minha vida, faltava uma semana para conhecer uma pessoa... realmente, não tem profundidade.

mas, pra quê?