terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Q & A

Q: Tudo bem?
A: Até agora, tudo.

Já achei este diálogo risível no passado. Ele era acompanhado de caras engraçadas e estórias tragicômicas. Hoje me enche de uma certa tristeza. Então querem me convencer que a desgraça é iminente? Toda a alegria, felicidade, sucesso, saúde se autodestruirão em 10 segundos. 10, 9, 8,... Pergunto-me se é assim mesmo, se estamos sempre flertando com desastre, e acho que não. Não. Não pode ser assim, não pode ser esta a nossa verdade. A desgraça, ah ela é randomica - isto é, caso não estejamos fazendo algo que claramente nos encaminhe nesta direção. Então, por que estar feliz poderia causar a imediata posterior infelicidade? A alegria é inebriante e deveríamos também aí adotar a Lei Seca da Felicidade e ficarmos permanentemente casmurros por receio de sermos autuadosmultadospresos? Respostas para a redação. Talvez perigosamente desafie o Tao, o conceito da mutação eterna, o Yin e Yang. Mas troco o desafio pelo respeito e a compreensão. Deixo de olhar melancolicamente o passado ou ansiosamente o futuro e resido nesta fração do tempo que é o agora.

A: Sim, tudo bem.

2 comentários:

Flavia Melissa disse...

Putz, me identifiquei!
Toda vez que estou muito feliz fico com medo que alguma coisa ruim aconteça.
Acho que é a culpa cristã.
Mas, bah!, eu sempre dou um jeito de culpar o cristianismo ;)

Beijos

Caco disse...

Culpa é uma merda.
Quero ser cristão sem culpa!
Beijodaí.