domingo, 10 de janeiro de 2010

Ofensa ambulante

Tornou-se uma ofensa ambulante. Cada palavra proferida era um desgosto para a sociedade. Achavam que faltavam-lhe mais vogais. E, se haviam vogais demais, eram certamente as consoantes. Que dizer dos numerais? Parcos. Ou excessivos, como resposta. Concisão era rispidez, prolixidade era patronising. Vestia-se desajustadamente. Não deveria estar naquela foto, não deveria estar naquela paisagem. Dêem-lhe seu perdão por ainda respirar, pratiquem um pouco de tolerância.

Nenhum comentário: