domingo, 31 de janeiro de 2010

Jesus toma conta

Um dia ele decidiu. Não mais. Numa fração de segundo percebeu que não havia mais sentido procurar o sentido único. Desligou-se e relaxou. Era algo como um anestésico, talvez até mesmo uma droga, só que totalmente legal, em todos os sentidos. Não enxergava mais soluções ou possibilidades e cansou de procurar. Poderia gastar mais tempo ou mesmo preocupar-se por não ter conseguido. Era o medo de falhar e ser humilhado. A frase que resumiu tudo foi agora só me resta entregar a Deus. Falou isto com um certo humor, abriu um sorriso, fechou os olhos e dormiu. E foi o que fez. E tudo deu certo, no final.

Nenhum comentário: