domingo, 4 de outubro de 2009

Tapeçaria

Quando olhou para sua mão, achou que estava envelhecida. Independente de quantos cremes passasse no rosto, a passagem do tempo havia sido implacável e sua mão a denunciava, pensou. Ela a examinou, a virou, para um lado para o outro, a uma maior e a uma menor distância, puxou a pele, amassou as veias. Pensou no que fazer e não chegou a qualquer conclusão razoável já que cortar a mão fora somente pioraria as coisas. Quando viu o marido passando por ela com o jornal numa mão e os óculos na outra perguntou de batepronto se ele achava que a mão dela estava velha. Ela está linda como sempre. Apesar de achar que era um tapete de mentiras, resolveu acreditar nele, abriu um sorriso Você que é lindo.

Nenhum comentário: