quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Quinta sem lei

Não sei se esta quinta é cabeça ou leve ou é de uma insustentável leveza.

Where is the purpose in your life? Where is the truth? Do you remember your hopes, your dreams? They are no longer your own. This day is for loving your own life. Don't let this world capture your heart, your passion lost to a thousand themes surrendered to the screen . This is not a story, this is not a book, this is your life. And this is not a play, some TV show you've seen, this is real life. You know that this is your this is your life. This is your this is your life. You act like a child playing games now. Play and pretend the art of disguise. Alone and lost in all your lies. This is not a story, this is not a book, this is your life. And this is not a play, some TV show you've seen, this is real life. You know that this is your this is your life. This is real this is real life. There is no rehearsal, no second chance, no false start no better circumstance. This is not a story, this is not a book, this is your life. And this is not a play, some TV show you've seen. This is real life. You know that this is your this is your life. This is real this is your life. This is your this is your life. This is your life.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Como se não houvesse amanhã

Sinto dor nos ossos nos músculos nos membros. São dores que dizem não. Repetem repetem. Não. Dizem-me que aquela não é a direção que devo tomar. Um instinto latente que agora insiste em vir à tona. Latejando. Repetindo, não. Experimente nadar contra a correnteza, tente imprimir velocidade. Faça isto durante algum tempo. Faça isto para não se afogar. Faça isto como se houvesse amanhã. Quando sair da água, seus músculos cansados doerão. Esta é dor que sinto.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Outubro abortou um monstro

Há dias que merecem ser apagados do calendário. Arrancar a página da agenda. Fazer um corte de estilete em volta da data no calendário e jogar na lixeira. Para me lembrar que ele jamais existiu. Assim como hoje. Começando de forma inútil, o dia foi uma aberração que deveria ter sido abortada nas primeiras horas da manhã. Furado com agulhas de tricot. Cortado. Jogado no vaso sanitário e dado descarga. Mas insisti em vivê-lo. Mas o dia não se iluminou ou floresceu ou trouxe boas notícias. Au contraire mon frère, ele se escondeu nas sombras e atrás das portas, amargo, olhando o mundo de soslaio. Restou-me esperar os ponteiros do relógio seguirem seu curso e ver com olhos bem abertos a hora dele partir.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Quinta sem lei

Quinta punk, punk, punk. Lançado em novembro de 1977, Siouxsie & The Banshees detonam com Helter Skelter. Aperte o play, deixe rolar (começa aos quase 30 segundos) e, se quiser, pode dançar pular quebrar os móveis.




When I get to the bottom I go back to the top of the slide. When I stop I turn and I go for a ride. When I get to the bottom when I see you again yeah yeah yeah. When I get to the bottom I go back to the top of the slide. When I stop I turn, go for a ride. When I get to the bottom when I see you again yeah yeah yeah. I don't know don't you want me to make you? I'm coming down fast but I'm miles above you. Tell me tell me tell me tell me the answer, well you may be a lover but you ain't no dancer. So look out helter skelter, helter skelter, helter skelter, helter skelter. When I get to the bottom I go back to the top of the slide. When I stop I turn go for a ride, when I get to the bottom when I see you again yeah yeah yeah. I don't know don't you want me to make you? I'm coming down fast but don't let me take you. Tell me tell me tell me tell me the answer. Well you may be a lover but you ain't no fuckin' dancer. So look out helter skelter helter skelter helter skelter helter skelter helter skelter helter skelter. I'm coming down fast. When I get to the bottom I go back to the top of the slide where I stop.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Exercício mental

Fiz um exercício mental. Consistiu de pensar o quão feliz eu ficaria se tivesse você aqui por perto e que eu pudesse partilhar minha felicidade com você. Como você ficaria alegre com isto! Antes eu ficava triste por pensar desta forma, já que afinal te perdi para sempre, mas agora fico alegre porque tenho certeza que você estaria alegre por mim, por você.

domingo, 18 de outubro de 2009

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Estou aqui pelo abaixo assinado

"- ... c'est... c'est pour la pétition... - euhh... quelle pétition? - ouais... la pétition pour... pour... pour faire canoniser Lady Di! - aha, oui! ah non, merci." (quem assistiu, conhece o diálogo). Reproduzo-o agora: Eu estou aqui para o abaixo assinado. Para canonizar o meu acuputurista, Dr Milton. Por ele ter me restaurado o sono e removido as minhas fortes dores lombares. Valha-me São Milton. padroeiro dos descadeirados insones.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Surreal, mas

Estou para conhecer alguém que já teve um momento cinematográfico na sua vida. Algo do gênero de tropeçar na Julia Roberts em Notting Hill, sujá-la de suco de laranja e fazer com que ela te considere surreal, but nice. Sim, porque a minha vidinha anda muito desinteressante, no padrão mais baixo possível dos últimos tempos. Queria só saber se é só comigo mesmo.

"Toc, toc, toc. Penny!!"

Personagens do The Big Bang Theory:
Rajeesh, Leonard, Penny, Sheldon, Howard.

Encantador

Estava assistindo ao Encantador de Cães, Cesar Millan. Cães ansiosos são resultados de donos ansiosos sempre os restringindo e antecipando o que pode vir a acontecer. Cães vivem no presente. Para eles, não existe passado. Não pensam no futuro. Só no agora. Não tenho um cachorro, infelizmente. Mas fica o pensamento para minha vida de cachorro.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Dia de folga




Iso tank

Meu termômetro pessoal é minha cabeça. Penso demais, esquento a mufla. Meu humores corpóreos também contribuem. Meu fígado acionou minha enxaqueca no domingo. Apesar de sofrer na segunda, dominei-a na terça. A quarta-feira caiu como um novo golpe e hoje sucumbi. Lembro-me sempre de que o meu primeiro indício de desequilíbrio seja a minha cabeça latejando. Têmporas. Nuca. Testa. Olhos. Juntos ou separados, estes são os pontos. Hoje, no meio da dor física e com a mente em disparada, tive um momento de frieza e disse hora de dar uma descarga na mente e esvaziar toda a merda parada nela. Concentrar no nada e esfriar. E tomar paracetamol, na ausência de um complete sensory deprivation. Foi o momento em que a dor do menino enxaqueca diminuiu.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Ora horas

Quantos relógios você tem em casa? No microondas, na parede da cozinha. Os 3 de pulso sendo 1 digital. O do aparelho de som. O computador, Ipod, na televisão, no DVD, e no celular. Já reparou que cada um deles marca sua hora particular? Alguns deles vivem num passado recente, enquanto outros, num futuro próximo. Existem poucos que pararam no passado, literalmente - não avançaram por falta de energia. Não tenho mais certeza quem está corretamente representando o presente. E fico procurando entre eles, tentando acertá-los, tentando me acertar. Mas continuo sendo cobrado por estar ligeiramente atrasado, continuo me cobrando por estar ligeiramente adiantado. Acho que aí está a minha dificuldade de viver no presente simples.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Desaparecido

Fez-se o silêncio. Não ouviu sua voz nem sequer uma só vez durante o dia. Tudo era imagens e sons produzidos pelos outros. Perguntou-se, no barulho da sua mente, será que ainda existo?

domingo, 4 de outubro de 2009

Tapeçaria

Quando olhou para sua mão, achou que estava envelhecida. Independente de quantos cremes passasse no rosto, a passagem do tempo havia sido implacável e sua mão a denunciava, pensou. Ela a examinou, a virou, para um lado para o outro, a uma maior e a uma menor distância, puxou a pele, amassou as veias. Pensou no que fazer e não chegou a qualquer conclusão razoável já que cortar a mão fora somente pioraria as coisas. Quando viu o marido passando por ela com o jornal numa mão e os óculos na outra perguntou de batepronto se ele achava que a mão dela estava velha. Ela está linda como sempre. Apesar de achar que era um tapete de mentiras, resolveu acreditar nele, abriu um sorriso Você que é lindo.

sábado, 3 de outubro de 2009

Mariella

Um dia eu cheguei do trampo nesta semana. Abri as janelas do apartamento fechado. Troquei a fantasia de engenheiro pela camiseta do fãclube da Amy Winehouse, shorts e tênis. Juntei o capacete e o ipod. Pulei na bike e lá fui eu. E o vento, ele estava frio. Do alto da colina até o lago, foram alguns segundos para a velocidade começar a subir, incontrolável, e minutos em que as músicas começaram a fluir nos fones. A primeira primeira curva em volta do lago ainda foi em alta velocidade. Negociar a primeira subida foi o momento para aproveitar e começar a paquerar até a subida da colina dos bombeiros e descer até a esquina do sinal do iate clube. Se vermelho, então squeezewatersqueeze, e esperar civilizadamente até o sinal verde. Depois é hora da vista panorâmica do lago, dos postes de luz refletidos no espelho d'água até a esquina do boteco. Passar pela tentação dos côcos verdes até a descida do futuro mercado. Segunda rodada oficial da paquera e aproveitar o vento fazendo barulho nas orelhas. Fechada a volta completa, acabei de pensar em todos problemas e a concentração ficou só na pedalada, só na paquera, só no squeeze, muito instinto e pouco cérebro. Uma. Duas. Três. E perdi a conta das voltas. E o shuffle da noite estava em sincronia com tudo aquilo, o que só me fez deixar com o o sorriso aberto pelo vento e falar a frase du jour: what a life.

Google it: Yes we créu

Créditos: Google Brasil