terça-feira, 11 de agosto de 2009

Monges

H1N1: Vivemos num mundo cheio de Monks, gente limpando a mão a todahora com álcool gel (escasso, skyrocketting prices). O detetive de Tony Shalhoub é paranóico por limpeza e organização. Acha que vive num mundo cheio de germes prontos para atacá-lo, daí isola-se numa bolha e evita ao máximo o contato com outras pessoas. Estamos caminhando nesta direção, isolando-nos cada vez mais. Penso que esta paranóia se intensificou desde 11-setembro-2001, e desde então temos os movimentos xenófobos em alta e a reclusão exponencialmente crescente das pessoas - comunicando-se via redes sociais virtuais. Tudo isto causa-me medo porque a salvação do mundo vai ser quando houver maior interação caraacara das pessoas, mais gente viajando, vendo coisas novas, experimentando mais.

Um comentário:

Fernanda S. disse...

Engraçado... estava pensando em algumas coisas do tipo esses dias...
Não propriamente na gripe e no gel e na bolha... mas sim, no fato de que as pessoas estão esquecendo dos contatos realmente humanos e o mundo está se tornando cada vez mais áspero e virtual. Parece que é mais legal ficar horas na internet que realmente ver os amigos, né?!
Sei lá...
Beijoosss