quinta-feira, 2 de julho de 2009

Quinta sem lei

A quinta sem lei sai excepcionalmente da agitação usual para trazer Paul Weller. Um cara que já foi da anti-complacency league, um mod, símbolo para juventude rebelde inglesa no The Jam. Daí, ele flertou com o jazz, política e virou estiloso. Todos odiavam o Style Council (Tears For Fears: 'Kick out the style, bring back the jam!', em Sowing the seeds of love), muito mais porque achavam Paul tinha virado a casaca e se rendido ao establishment do que pela qualidade musical do grupo. E o Style, por si só, já era excelente, muito acima da média da época. E aí ele virou solo, e envelheceu. E ficou melhor do que nunca, como dos melhores vinhos. Então vai, toca aí um Paul fucking Weller:




And where'er ye go that we'll never know but, as long as you come back, that's all that really matters. And where'er ye go as surely you will take him with you most of all, I hold breath and imagine. But that's who you are and we have to accept either live with it or live without you. So where'er ye go then come back as each time you do you bring with ye such stories that we lose ourselves. Because our echoes are forgotten and you never forget. You just lose track of time - that's alright, it's really alright for we couldn't bear to be without you.

Nenhum comentário: