sábado, 27 de junho de 2009

Um ou em um (num)

Sofro de profundo descrédito temporário nas pessoas e, por conseguinte, na humanidade. Decepciono-me por atos despropositados, gerados por uma falta de lógica infantil, permeado por um diálogo escrito por um roteirista de terceira categoria. Tal decepção é fruto de uma completa falta de compreensão da realidade. Sim, porque nem todos são loucos de pedra que falam impropérios por vontade própria. Vivem numa realidade tão particular que parece absurda aos demais mas absolutamente direita para si. Dos outros, por certo, e talvez minha também - ah esta minha autocrítica. Por conta disto, faço aleatoriamente um reality check com os pares à minha volta: será que estou vivendo um absurdo ou num absurdo? Ou o absurdo reside só na minha mente distorcida? Desconfio de você. Desconfio de mim.

5 comentários:

Raquel disse...

Ai, ai... mais um misantropo no mundo...

Bem-vindo ao grupo!

Fernanda S. disse...

Sofro deste mesmo mal profundo...
Tanto que porei este link no meu último post que tem tudo a ver com o meu mais novo descrédito nas pessoas e, consequentemente, na humanidade!

Ai, ai...

Beijossss

Caco disse...

Vivemos num reino de misantropos, afinal?

Anônimo disse...

A culpa é sua. Não devemos esperar das pessoas mais do que elas nos podem dar.

Tales Américo disse...

A vida é um absurdo, pois o Universo é um absurdo! No entanto estamos aqui e somos todos reais! A questão é como lidar com isto, ou como a humanidade deve lidar consigo própria, no aqui-agora que é a realidade. Como lidarmos uns com os outros? Não é uma questão trivial.