segunda-feira, 29 de junho de 2009

Curb your enthusiasm

Manere no entusiasmo, foi o que eu disse. Havia oferecido a oportunidade de agir de uma maneira foradospadrõesusuais durante um certo tempo. Uma loucura, haviam pensando, vamos aproveitar a onda! Mas eu, logo eu, desconfio daqueles que sorriem demais, que mostram a boca cheia de dentes por muito tempo. Daí soltei a frase chupinhada da série americana: curb your enthusiasm. Senti-me culpado, embora por pouco tempo confesso eu, por haver jogado o balde de água fria na incauta pessoa. Mas meu objetivo era genuíno: nada de criar expectativas grandiosas, nada de ser o que não se é, nada de vender o que não se pode entregar. Acho que fiz bem. Se não fiz, azar.

4 comentários:

Fernanda S. disse...

Acho que andamos meio em sintonia...
Tenho pensado muito até que ponto devemos nos entusiasmar com as coisas e mistrar isso para as pessoas ou guardar para si. E tenho pensado também sobre as malditas expectativas... desde que Flávia Melissa me falou delas, não saem mais da minha cabeça!

Paciência... paciência!
Let's curb our enthusiasm, my friend!!

Beijosss

Ana R. disse...

A desconfiança nesse sentido é prudente...:)

Cá, disse...

nada de criar expectativas grandiosas, nada de ser o que não se é, nada de vender o que não se pode entregar...


ok!é isso ai!

Azar!


Bjus!

Caco disse...

Fê - Flavinha é Flavinha, né?
Ana - Você acha?
Cá - É isso aí.

Beijodaí.