quarta-feira, 6 de maio de 2009

Siga o líder

Não acredito em anarquia. Acredito que seja necessário alguém para liderar, para cagarregras, para dizer para onde ir. O conceito de não haver um poder central direcionador é fabuloso, mas digno de estar presente num dos contos de Nárnia. Dizer adeus à obediência, à observação dos rituais e até mesmo à hierarquia, leva ao caos e à paralisia. E as pessoas, em geral, gostam de ter quem diz à elas para onde ir. Elas gostar de se ver confortavelmente perdidas e ter certeza que há quem vai trazê-las de volta aos eixos. Você secretamente também sente-se assim? Era uma vez eu estava no Japão e saí com um grupo para um happy hour depois do trabalho no centro de pesquisas. Saímos da estação de trem e caminhamos em direção aos bares. Andávamos um pouco lentamente e os meus convivas falavam num tom animado sucessivamente entre eles; de repente um silêncio até que a ciranda se reiniciava. E aquilo foi me incomodandoincomodandoincomodando até que não resisti e perguntei, em inglês (sim, porque não falo nada de japonês senão frasesfeitas da boa educação), para o meu amigo o que estava acontecendo. Ele me respondeu: todos nós éramos engenheiros do mesmo nível hierárquico e não havia consenso de qual bar deveríamos parar. Para ele, a solução seria se houvesse um chefe entre nós: ele finalmente tomaria a decisão por todos e nós o seguiríamos. Quod erat demonstrandum.

6 comentários:

Ana R. disse...

É esquisito, mas é assim que funciona mesmo. E acho que essa é uma das grandes debilidades contemporâneas: a falta de liderança, em todos os aspectos...

Caco disse...

Os bons líderes estão sempre ocupados com outras coisas ou são modestos o bastante para não querer liderar. Daí os medíocres proliferam e tomam tudo de assalto. E temos que nos submeter a eles.
Hmpf.
Beijodaí.

Renato disse...

Nossa.... que resposta rápida ao meu post....

Mas á idéia é voltar mesmo...
Precisei desse tempo pra botar as coisas no lugar... ajeitar a cabeça.. ver onde queria chegar...

Depois de tantas voltas ensaiadas, espero que essa seja a definitiva....


E quanto à história dos líderes ai... é bem assim mesmo...
Mas acredito que isso seja uma coisa de educação...
Somos "embutidos" com a idéia de obedecer desde que nascemos... alguns poucos conseguem evoluir e serem bons lideres... alguns só fingem e viram os medíocres que você citou acima... infelizmente.

Até a próxima!

Flavia Melissa disse...

Já dizia titio Freud que não existe civilização sem repressão. Para que um grupo humano possa viver em comunidade sem que se destrua, é necessário que subjuguemos nossos instintos e permançamos conectados em uma Lei maior, que nos explique o primordial "quem sou eu, de onde vim, para onde vou?".

Daí que quem subjuga os próprios instintos aprende a subjugar a si mesmo. Há uma Lei maior, que explica, que orienta, que diz o que é certo. Pocuremos esta Lei maior, encontremos esta Lei maior.

Assim fica fácil aceitar os líderes...
Qualquer um.

Saudades, Caquito, stay cool ;)

Olga disse...

Também não acredito em anarquia. Acredito em anarquismo, o que é muito diferente, Caco.
Um conceito só inconcebível na relação de família. Nos demais, pode ser utilizado, desde que haja bom senso.
Beijo

Caco disse...

Sandman - Você está no meu Blogroll, por isso vi assim que você publicou. Ah, e você é figura bissexta, dái é necessário comentar logo.
Será que o líder precisa de poder? Point to ponder...

Flavinha - Saudades de você por aqui. Hmm, tenho que pensar a respeito do que você disse.

Cariolga - Puxa, honestamente pensava que as duas coisas eram as mesmas. Mas, pelo menos, temos algo em comum.

Beijos e abraços daí a todos.