domingo, 5 de abril de 2009

Eu sei mas não devia

“A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se de faca e baioneta, para poupar o peito. A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que, gasta de tanto acostumar, se perde de si mesma.”
Marina Colasanti

2 comentários:

Giovanna Vilela disse...

Bonitas palavras! Fazia tempo que não passava aqui.
Nos acostumamos com muita coisa, a quase tudo na verdade, só acostumamos mesmo a sentir saudade do que ainda não vivemos e é aí que paramos um pouco de nos acostumar para tentar nos libertar.

Caco disse...

Oi Giovanna, isto acontece principalmente quando começamos a acelerar demais a vida. Nem dá para pensar no que se faz. Daí a gente se acostuma a não pensar...