quinta-feira, 16 de abril de 2009

Cheiros, dentes e bocas

Uma semana de Amoxiciclina. O antibiótico tem um cheiro particular. Talvez os bichinhos tenham sido mortos por este cheiro. Bombardeados continuamente, sufocados. E quando o efeito vai passando lá vem outra dosagem. Posso ver o material se espalhando pela corrente sanguínea. Mudando a cor vermelha para verde ou roxo ou anil. Algo artificial. Uma semana. E minha urina ficou com este cheiro particular - talvez fosse o excesso do ditocujo sendo expurgado. Tudo por causa de um dente que morreu, um corpo calcificado e necrosado dentro da minha boca. Um cadável não enterrado, feto não abortado. Febril. Boca. A boca é um local interessante: porta úmida do contato do nosso inside com o outside. Que se abre e fecha, pulsante. Naturalmente estou removendo toda a beleza e sensualidade dos lábios. Fico com a secura dos livros de anatomia agora. Só por este instante.

3 comentários:

Before Sunrise disse...

Argh!! Que coisa horrivel, Caco. E o que se fax com o dente? Ele fica la?

Caco disse...

Passa um fax? hehehe
Faz-se tratamento de canal. Coisa de pobre, cheio de cárie. Hmpf.
Beijodaí.

Before Sunrise disse...

Coisa de pobre? hahaha

FELIZ ANIVERSARIO!!!!

Beijos!