segunda-feira, 2 de março de 2009

Vento fresco num dia de calor senegalês

Privilegio a justiça. O tratamento correto entre as partes envolvidas. Substituí o Ordem e Progresso da minha bandeira pela retidão, igualdade e justiça. O caminho mais curto entre dois pontos é o caminho da retidão. É incompreensível para mim quando o revanchismo provoca ações danosas. Escutem-me: rancor provoca câncer. Meu peito andava pesado com uma mágoa negra. Sentia uma raiva descomunal que me faria mal, me deixaria doente. E logo. Mas antes disso, me aconteceu algo desagradável. Notei que a mágoa que eu sofria era muito menor do que a mágoa que havia ao meu redor. Entendi que uma mágoa é partilhada numa esfera muito maior. Nunca é só sua. Pois bem, esta mágoa ao meu redor tranformou-se numa onda revanchista que me atingiu. Fui engolido. E a fúria só tornou-se maior dentro de mim. Num crescente descontrolado até que Caraca! entendi o sentido de tudo. Salve, salve São Jorge Lucas. Salve, salve São Martinho Scorcese. Todo este tempo estava sendo tentado, tentado, tentado. Estava sendo tentado a partir numa vingança, numa revanche, a acalentar o ódio no peito. Tentação a pular num lodaçal, a adotar a leidaselva, o absolutismo enfurecido. Só que não sei jogar este jogo e capitulei. Adeus todos, acredito na justiça, na correção, apesar de. Venci este karma. E veio uma sensação tão boa. Um vento fresco neste dia de calor senegalês. Achei que meu irmão ficaria orgulhoso de mim. Sabe, este post tinha começado assim... Tem chovido muito por aqui. E quando estia um pouco, as nuvens negras se instalam no horizonte. E ficam por lá, ameaçadoras. Andei pegando muita chuva ultimamente. No início, era aquela torrencial: molhava o corpo suado, lavava a alma e me deixava com esperança do dia de sol. Mas aí a chuva não parou. Ficou caindo fininha. Inclemente. Dia após dia. Tortura chinesa. Minando a minha paciência e a vontade de seguir em frente...Fiquei prestes a desistir de seguir em frente. Até a hora que vi a fresta de sol. E eu lembrei que ele sempre esteve lá. Me esperando...

9 comentários:

Sérgio disse...

Maravilha de texto e de mudança de atitude! Eu acredito que o que fez é o que se todos fizéssemos, tornaria esta terra o paraíso. Tenho feito a minha parte e adorei ver que também fez a sua. Abração.

Caco disse...

Bom sempre te ler, meu caro.

N. Ferreira disse...

Que texto bonito, Caco. A analogia de um vento fresco no rosto como um alívio dos pesos emocionais retrata bem esse lance da mágoa.
Tirar um quilo das costas significa, ás vezes, tirar uma tonelada do coração.
Um beijo.

Flavia Melissa disse...

ah!, que saudades que eu tava desse seu canto, caco.
suas palavras tem uma cadência assim, de verso em prosa que me fazem muuuuuuuita falta nesses meus tempos de vida quase sem net!
quero ler tuuudo o que perdi, então fuii!
bjoo

Caco disse...

Ms Ferreira - sim mágoa é um carcinoma na alma.

Flavinha - ah eu que estou morrendo de saudades de você por aqui...

Beijodaí.

Fernanda S. disse...

Caco!!!! Que texto genial!!!
Adorei. E adorei mais ainda saber que mesmo apesar de todos os pesares, das mágoas e ressentimentos, você decidiu seguir em frente...
Porque, no fim, é isso que realmente importa!
Beijosss

Valéria disse...

Prazer! que texto maravilhoso.
Temos sempre que ter forças para seguir em fente!
Adorei ler vc!!!

Raquel disse...

O sol sempre bate na janela do quarto... :)

Caco disse...

FE - I move on.
VALÉRIA - Obrigado pela visita, volte sempre.
RAQUEL - E chuva de vento também!

Beijodaí.