segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Perdidas em Barcelona


Barcelona é uma das cidades mais legais que eu conheço. Tenho uma ligação quase afetiva com a cidade. A primeira vez em que estive lá, há quase 10 anos atrás, fui tratado superbem. Havia o taxista no aeroporto, com quem bati um papo legal até o hotel, conheci um pessoal bem simpático para conversas a altas horas em algum bar nas Ramblas, e comer Aquela paella no 7 Portes. Voltei lá outras vezes nestes meio tempo para matar as saudades e nunca mudei de opinião. E foi com este espírito que fui assistir Vicky Cristina Barcelona. Pena que Barcelona serve só de cenário, não há a vibração local, por mais que se desfilasse pelos cartões postais da cidade. Ela não é personagem, nem tão pouco consegui acreditar nela como elemento de mudança nas protagonistas. Mais especificamente, enquanto Vicky e Cristina desfilavam seu vazio americano em solo europeu, Maria Elena é a melhor desequilibrada dos últimos tempos. Woody colocou os chavões dos americanos versus europeus, desde a língua até o estilo de vida. Ficou um pouco óbvio demais, por mais realista que isto possa ser. Por sorte, Penélope Cruz acabou ficando com as melhores linhas, com deliciosa personalidade, sem contar a deliciosa língua espanhola. O narrador soava como um guia turístico cujo texto havia sido previamente decorado. Um pouco irritante.

3 comentários:

Before Sunrise disse...

Tb nao gostei mto desse filme... Vi em agosto e nao me impressionou. A maioria das pessoas que conheco adoraram e pensei ser a unica que nao tinha gostado!

Caco disse...

Pois é, encontrou mais um que não gostou.
Será que a maioria das pessoas que você conhece e gostaram são norte americanas? Caso positivo, faz sentido.
Se já não conhecesse Barcelona, o filme não teria me feito ter vontade de conhecê-la. Acho que o filme deveria de fato provocar esta vontade...
Beijodaí.

Flavia Melissa disse...

Caquinho, tbm conheço Barcelona e concordo que o filme falha em muito em divulgar a cidade e fazer o espectador conhecê-la - li uma reportagem esses dias dizendo que a cidade de Barcelona patrocinou o filme de woody com este intuito, o de chamar turista (o que em parte explica o porque da energia da cidade não aparecer no filme, que só se passa lá por questões de verbas de filmagem).

acho que a personagem de penelope cruz é a melhor do filme inteiro, Vicky me irritou um pouco e Scarlett johansen sempre me incomoda com aquele nariz batatudo... Talvez o filme tenha caído para mim como uma luva pelos motivos que coloco em meu post - adorei me identificar com a personagem mais perdida da trama que, na minha opinião, é a que ali se sai melhor ;)

Beijos!