domingo, 2 de novembro de 2008

Antes do fim da corrida

Sempre curti dirigir, acelerar, testar os limites em curvas, apertar todos os botões do painel, trocar marchas rapidamente 0 a 100 em 4 segundos. Já rodei feio na estrada por conta disto, e não me orgulho nem um pouco. Mas dirigir é muito bom. Tenho Emerson Fittipaldi reidacosteleta na memória, com a coroa de louros, um puta troféu e a champagne. Acho que era a influência de Roberto Carlos a 300 km/h em 1971, enquanto eu nascia. Massa está menos insustentável neste ano, mas qualquer coisa é melhor que o Hamilton o reidaarrogância. Senna morreu e fiquei perplexo - como é que o super homem morre? Ainda gosto do fiel escudeiro Gerhard Berger. Piquetzão e Piquetzinho - o rei e o príncipedolimão, sem maiores comentários. Fittipaldi virou o Pelé das pistas, quase atemporal. Reginaldo Leme, oneofthelastgentlemeninthebusiness. O carro negro John Player Special era um ícone das pistas, bem como todas as propagandas de cigarros - Marlboro, Gitanes, Benson & Hedges.

Um comentário:

Ana R. disse...

Final de corrida melancólico....Parabéns ao Massa!