sábado, 2 de agosto de 2008

O negócio é ir

Meu itinerário na China foi ditado pelas restrições de tempo de férias e deadline para fechar meu barraco no escritório de Londres e reabri-lo na fábrica no Paraná. O que sobrou está neste mapa: China Explored. Pulamos Chengdu por causa do maldito terremoto mas fomos a Longsheng, que foi um oásis providencial. Tem que tomar trem durante algumas noites, mas eu nem me preocupei - o negócio é ir. Só me atualizei de como eram os trens na China durante o meu vôo, insone, para Beijing. Beliches. Duplos. Triplos. Cabine aberta.

Nosso primeiro trem, e o primeiro trem a gente nunca esquece, em Beijing tinha ar condicionado e beliche duplo. Nada mal nada mal. Vimos os carregadores descerem com as trocentas mochilas e malas para o trem a troco de quase-nada, descendo heroicamente rampas até a plataforma. Abastecemo-nos com cervejas e outras biritas chinesas, salgadinhos e tranqueiras, para nos sustentar até o toque de recolher (lá pelas 10 de la noche quando as luzes são apagadas). Este hábito foi mantido nos trens subseqüentes - só mudando o tipo de birita e de tranqueira. Demos muita risada e quase choramos com o atraso de 6 horas na chegada.

No dia que partimos de Xi'An para Chongqing, fazia aquele calor que nos faz suar em bicas só em pensar. Chegamos no nosso Expresso e voilà: cabines com ve nt il ad o res. Bel i che tr iplo. Quem estava no topo não podia nem ter medo de altura nem de espaço confinado. Peguei malandramente o beliche do meio - o mais conveniente, muito embora com tão pouco espaço quanto os outros. Com Johnny, aventuramo-nos no vagão restaurante. Sorte: cardápio também em inglês - 'seacabamodecomê'. Passamos por tantos túneis que perdi a conta - impossível conversar pelo barulho do trem no túnel, restava escrever o meu travel diary e deixar a câmera a postos para quando aparecesse alguma paisagem. Pela canseira, ou já meio habituado, o sono me dominou por completo e acordei com as luzes sendo acesas no nosso destino.

Já em Wuhan, foi a oportunidade de ver o povão viajando pelo interior - o pessoal mais humilde não tem malas - eles colocam tudo num sacotiposacodegrãos e vão. O negócio é ir. Mas eu também já estava ficando meio mau humorado e, para sorte de todos e minha, era minha vez de ficar no beliche do topo. Entrei no meu casulo, com meu Ipod, e see you in Guilin.

Depois de subir nas montanhas de Longsheng e restaurar a paz e tranqüilidade, já estava pronto para o último trem até Shenzen. Nossa experiência no vagão restaurante desta vez foi a 'clássica'. Com a arrogância do sucesso anterior, nem pensamos em chamar nosso guia fluente em chinês. Só então descobrimos que não havia menu em inglês... Solução? Apontar para os pratos que outros estavam comendo e dizer yiga-yiga-yiga um deste, um deste e um deste, xie xie obrigado. Neste trem, foi a minha vez de ficar na cama de baixo. É onde temos que obrigatoriamente partilhar a cama com os demais até o toque de recolher no vagão. Mas já estávamos ficando todos meio melancólicos com a perspectiva da despedida em Hong Kong. Até caiu aquela chuva de chumbo. Foi do lado de fora mas que permeou para a cama do Sr D que a confundiu com cerva derramada na noite anterior ahestesbebuns.

Outro fato comum era a manobra para usar o banheiro squat-style, que eu só usava para o númeroum. De manhã, na hora de escovar os dentes, carregava a minha garrafinha de água mineral e os lenços úmidos - tudo bem, posso ser neurótico mas não tinha desenvolvido todos os anticorpos necessários.

Na hora nada foi muito engraçado (com exceção do primeiro dia), o banheiro, o calor, o barulho, o conforto, a comida, mas hoje só ficaram as boas recordações, as risadas, as conversas, os chinesesnosolhando, a fumaçadecigarros, as bebidas. Não, não me arrependi nem um tico. E descobri também porque todos os outros tours que fazem o mesmo itinerário usam aviões. Mas eles não viram nem viveram o que eu vi e vivi. O negócio é ir.

Outras fotos tiradas nos trens estão aqui: Overnight train in China.
Trilha sonora: Talking Heads, Road To Nowhere

4 comentários:

BEZERRO.COM disse...

opa! estava visitando seu blog e vi o link do meu ai e fiquei muito agradecido. queria agradecer por me incluir em seus números blogs bakana.

É isso ai. o mundo realmente precisa de formadores de opiniões mesmo que elas não mudem o mundo, mais que possamos mostrar um pouco da nossa vontade!!

abraços!

Before Sunrise disse...

Fico feliz por poder viver essa experiencia por voce. Realmente, o negocio eh ir! Que bom que voce foi :)

Eu, agora, estou a caminho do Brasil...

Caco disse...

BEZERRO - Acho que você é o Leo, certo? Valeu pela visita e concordo com você. Já fui mais formador de opinião. Agora estou querendo partilhar minhas parcas experiências... Abraço

LIL'MS SUNRISE - Então have a safe flight. Divirta-se em terras nacionais e não se espante com as mudanças... ;-) Beijo

Carlos Wilker disse...

O negócio é ir. De avião, de trem, nadando ou de camelo, o negócio é ir. E voltar pra contar ´ra gente como foi. ;)