segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Alta noite

Acordou no meio da noite e ficou perdido. Olhava a escuridão. Lembrava-se dos velhos amigos que já tinham partido. E falava consigo mesmo sobre tudo aquilo e a mente vagava. Queria também partilhar isto com todos à sua volta. Perdido, tentava se lembrar de todas as pessoas que já haviam passado pela sua vida. Seus irmãos. Seus amigos. Seus vizinhos. Gente com quem trabalhou. Gente com quem festejou. Seus filhos. Seus pais. Todos já se foram. Poucos ainda estão entre nós. E noite após noite vive neste limbo.

3 comentários:

Ale Weerth disse...

Aconteceu algo estranho. Todos os links de blogs relacionados sumiram do meu layout. Credo em cruz três vezes.

Fora isso tenho dormido pouco, a insônia tem me vencido.

Caco disse...

Preocupado?
Minha insônia anda tão improdutiva... Nem preocupado, pensando em algo, fico. Everything goes ~blank~...

Fernanda S. disse...

Alta noite já se ia
Ninguém na estrada andava
No caminho que ninguém caminha
Alta noite já se ia
Ninguém com os pés n'água...