quarta-feira, 16 de julho de 2008

Virei animal no zoológico

Lord W e mais 1 bilhão de chineses não aprenderam a lição 'Don't stare at people, darling, it's rude...'. Entretanto eles, de forma alguma, pretendem ser rudes. É apenas a curiosidade da população de um país que estava fechado para o mundo até relativamente pouco tempo. Beijing e Xian são cidades grandes, recebem muitos turistas, e fomos vítima de olhares insistentes poucas vezes. O maior choque foi nas estações de trem. Não me lembro de ter visto outros ocidentais nas estações. Nosso grupo de ocidentais era usualmente o único que ia pegar os trens noturnos. Os únicos ocidentais loucos que iam pegar os trens noturnos - todos os outros preferiam os aviões. Sempre chegávamos 45 minutos antes da partida do trem - it is showtime. As pessoas nos cercavam e nos olhavam intensa e curiosamente. Lembro-me de uma senhora que trouxe o seu menino de uns 3 anos, puxou a camiseta de um inglês do grupo e ficou apontando e mostrando o branquelo para o filho. O cara limitou-se a sorrir e dizer nihao (olá) para o menino. O ápice era quando atravessávamos o salão de espera para chegar até a plataforma. Carregávamos mochilas, malas, sacolas, garrafas PET de água, suávamos em bicas no calor sufocante do início do verão chinês e tornávamos o centro das atenções. Todos, sem o menor exagero, nos olhavam. Se estavam de costas, viravam-se. Esticavam pescoços. Ficavam na ponta dos pés. Mas não nos perdiam de vista. Na estação de Xian, quando pegamos o nosso segundo trem, já dizíamos 'somos os animais deste zôo'.

Nenhum comentário: