sábado, 19 de julho de 2008

Pausa na China... (II)

...e eu acompanho toda a cobertura da TV. E eu estava pensando no Protógenes. O Presidente da República diz para ele não se afastar do caso. A PF diz que ele se afastou porque quis. E surgiram as gravações da reunião (por que gravariam uma reunião? que esquisito) que confirmariam a desistência dele. E todos abrem seus sorrisos de Monalisa vingativa: ele seria jogado no ocaso, desgraçado por semear a discórdia e a desconfiança da opinião pública num caso tão polêmico. Escutei os trechos da reunião e não ouvi nada disto. Na verdade, cada um pode ouvir e interpretar o que quiser do que foi falado. Eu digo que tudo é uma falácia, um jogo de mentiras e interesse. Vamos aos fatos - Protógenes diz que quer fazer o curso 'Academia' e continuar seu trabalho no caso Dantas (ou a Operação Satiagraha estes nomes especiais das operações estão começando a ficar ridículos). Aí, dizem para ele optar entre uma coisa e outra - não vai ser deixado fazer as duas coisas. Ele opta pelo curso. Eu o compreendo. Ele deve estar na faixa 30-40, quer subir na carreira dentro da PF. Já deve ter trabalhado aos montes e chegou a um caso de alto perfil. Ele sabe que não vai se tornar um herói neste caso, dentro de uma organização de reputação discutível. Ele sabe que tem chance reais de subir na carreira se obtiver diplomas, evidências de desenvolvimento e competência. Daniel Dantas vai comprar o enterro do futuro dele - é inevitável. Protógenes somente vai poder respirar no futuro se demonstrar capacidade teórica - um acadêmico. Para garantir o que ele merece, ele deveria sim ter a oportunidade de conduzir os trabalhos do caso e a Academia simultaneamente. Sim, eu te entendo Protógenes. Só um cara chamado Pro-tó-ge-nes para entrar nesta enrascada toda.

Um comentário:

João M disse...

Por alguma razão eu pensava que Protógenes já fosse velhinho... Mas você tem razão, ele deve ter mais ou menos a nossa idade.