sábado, 7 de junho de 2008

Limousine

Deixe-me ir, preciso andar Fazer as coisas automaticamente pode ser perigoso. Mas, a gente automaticamente descarta o perigo e trata como se estivesse andando de bicicleta - é fácil, prático, e a gente se rala de vez em quando. Vou por aí a procurar Fiz meu orçamento de viagem, submeti ao chefe, tudo aprovado e aí foi hora de colocar em prática no meu personal working playground. Rir pra não chorar Na semana passada estive em Seul novamente. Deixe-me ir, preciso andar Sempre considero a opção mais barata para trânsito dentro da cidade - trens, metrô, ônibus. Táxis, só quando não tem jeito. Vou por aí a procurar, rir pra não chorar E lá fui eu pegar um ônibus de Incheon para Seul. Quero assistir ao sol nascer Paguei a passagem no aeroporto, me abanquei no busão. Aí caiu a ficha - eu não fazia a menor idéia do local onde eu deveria descer, não falava ou lia nem meia palavra em coreano. Ver as águas dos rios correr Olhando pela janela para o sol primaveril do fim de tarde coreano, dei risada comigo mesmo. Restou usar a intuição e tentar a comunicação com o motorista. Ouvir os pássaros cantar A gente coreana é simpática, relaxada, e bonita, em geral. Desci no ponto e arrastei minha malinha até o hotel. Eu quero nascer, quero viver Como diz meu amigo Sr F, a gente vai continuar a andar pelo mundo fazendo nãosesabebemoquê e, quem sabe, um dia a gente sossega. Quando a gente se entender, quando a gente se encontrar. Se alguém por mim perguntar, diga que eu só vou voltar depois que me encontrar...

Créditos: A foto é minha mesmo, de dentro do Airport Limousine 606 - Incheon-Seoul. Em itálico, Cartola 'Preciso me encontrar'.

Nenhum comentário: