sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

É solitário lá em cima

É muito triste quando o cara chega ao topo de sua carreira e os subordinados não gostam dele. Ele é meramente tolerado para os assuntos profissionais e torna-se impossível qualquer assunto de cunho informal. Aquele encontro na hora do almoço na copa do escritório é marcado pelo silêncio sepulcral e uma atmosfera que pode ser cortada com uma faca.

É uma via de mão dupla. Tem gente que faz parte da casta dos chefes que se isola na sua suposta superioridade, passando a caminhar alguns centímetros acima dos demais. Tem gente que é isolada pela equipe que se aglutina ao seu redor mas não deixa que ele seja parte dela. Ser chefe não é fácil não: tem que dizer não, tem que comer o rabo, tem que aprender a viver com gente que adoraria não te ver como chefe. Rapaduraédocemasnãoémolenão.

Muito embora eu acredite que consiga mudar a opinião das pessoas e fazê-las jogar no meu time, se não fosse bem sucedido, possivelmente eu riscaria o cateto, afofaria o pelo, queimaria o chão, picaria a minha mula - zarparia, enfim. Confesso que sou um homem de constituição fraca e não agüentaria um ambiente como este.

It is lonely at the top.

2 comentários:

Fê Savino disse...

Acho que vc tem todfa razão.. ser chefe não deve ser fácil mesmo. Mas, também, tem o outro lado: tem chefe aí que se acha o dono do mundo e acha que pode pisar em todo mundo só porque é "o chefe". acho complicado isso, pois você pode ser mto bom, mas nem por isso, precisa esuqecer a humildade...
Toda moeda tem seus dois lados, né?
Quem disse que seria fácil?!
Beijocas e ótima semana =)

Caco disse...

Não é fácil - mas quem não gosta de ser chefe, né? Beijo!