quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Como julgar o livro se todas as capas forem iguais?

Encostei numa banca dentro da livraria. Espalhados estavam os zilhares de paperbacks em promoção. Passei os olhos rapidamente e quando estava dando aquela última olhada, já como o corpo virado, meus olhos captaram os bustos de duas mulheres numa pintura clássica. Irresistível não ir ver o que era: Jane Austen, Sense and Sensibility. Pensei como os livros deveriam ter todos as mesmas capas. Só esta heresia poderia levar à diferenciação pelas palavras do autor, pelo interesse do leitor em abrir as páginas e julgar o conteúdo. Um não exisitiria sem o outro. Julgar sem ler o livro seria tão vazio quanto tê-lo mal escrito. Acabaria o jogo das aparências, o livro está aberto para todos abundaestáexpostanajanelaprapassaramãonela. Acabaria o jogo do julgamento antecipado, superficial e leviano. Esta é minha resposta para você que, sem qualquer tentativa de conhecimento, julgou e condenou pelas aparências.

Nenhum comentário: