quarta-feira, 27 de junho de 2007

E vem ver o sol

O sol nasce às 4:30 da madruga e se põe às 21:30. Isto tem me provocado um bela insônia, só vou para cama lá pela 1. Como uma versão amenizada do personagem do Al Pacino em Insomnia, que não consegue dormir com o sol eterno do verão no Alaska. É lugar comum dizer que chove há alguns dias e as temperaturas voltaram a não conseguir ultrapassar os 20ºC. Ontem lembrei-me que não via a Lua há algum tempo, como se ela tivesse ido tirar férias no sul da Espanha, com a maioria dos ingleses. Vou tentar tirar umas fotos quando voltar a vê-la. Talvez pendurar na janela à noite.
Baby, compra o jornal e vem ver o sol. Ele continua a brilhar, apesar de tanta barbaridade. Baby escuta o galo cantar, a aurora de nossos tempos. Não é hora de chorar, amanheceu o pensamento. O poeta está vivo, com seus moinhos de vento a impulsionar a grande roda da história. Mas quem tem coragem de ouvir: amanheceu o pensamento que vai mudar o mundo com seus moinhos de vento. Se você não pode ser forte, seja pelo menos humana. Quando o papa e seu rebanho chegar, não tenha pena. Todo mundo é parecido, quando sente dor mas nu e só ao meio dia, só quem está pronto pro amor O poeta não morreu, foi ao inferno e voltou. Conheceu os jardins do Éden e nos contou. Mas quem tem coragem de ouvir: amanheceu o pensamento que vai mudar o mundo com seus moinhos de vento...

2 comentários:

flavia melissa disse...

sabe que outro dia li uma reportagem que dizia que o índice de suicídio nos países com clima cinzento chega a ser um terço maior do que nos países ensolarados?

mmm... ainda bem que vc é um menino tropical, que carrega o sol dentro de si!

Caco disse...

Sou totalmente tropical, o cinza me é entediante. Gosto do amarelo 'coronation chicken', roxo 'aubergine', o 'devilish' vermelho e o 'Gogh-ish' azul.

Aliás, falando do Van Gogh, o cara é muito louco - babo quando vejo aquele amarelo e azul em pinceladas grossas, psicodélicas. Muito genial.

Beijo & stay colourful.