quinta-feira, 31 de maio de 2007

Mulheres na Arte

Message in a bottle


A partir do fim de 2008, depois de um acordo entre o Ministério da Saúde britânico e a indústria, as bebidas alcóolicas passarão a ter um rótulo que detalhará em unidades alcoólicas os níveis de consumo seguro da bebida.
As unidades estarão de acordo com o volume da bebida. Isto vai estar adicionado ao % de álcool já usual. E vai haver um aviso direto para as gestantes ou aquelas que querem engravidar -não bebam.
É uma atitude responsável num país onde se bebe razoavelmente. O conceito cultural sobre 'ir ao pub' é ficar bêbado. Embriagar-se completamente. Perder sentido. É tradição. E isto é um problema sério neste país principalmente com a moçada. Quase todo dia Kate Moss e Pete Doherty estão estampados nos jornais saindo passados de algum bar. Veja Dona Winehouse no post abaixo. Sem contar os expatriados...
A pergunta que fica é - será que, depois de alguns drinks, alguém vai se lembrar de quantas unidades já bebeu? Só vai valer se o beberrão se disciplinar e colocar limites antes de começar a enxugar.

quarta-feira, 30 de maio de 2007

Rehab

Tentaram mandar ela para rehab e ela disse 'não vou, não vou, não vou'.

E detonou mais um copo de vinho.

Clique no título para ouvir Amy Winehouse.

A fotografia é de Mark C. Austin.

terça-feira, 29 de maio de 2007

As unidades imperiais contra atacam


No início deste mês, os britânicos ganharam a permissão de Bruxelas para manter o uso de suas unidades imperiais, não sendo mais obrigatória a conversão para unidades métricas. Isto se tornou um alívio para a população em geral pois usualmente não conseguem estimar a distância em metros, o peso em kg ou volume em litros.

Na verdade, mais do que uma excentricidade da Ilha, a manutenção das unidades imperiais permite um diálogo de igual para igual com o mercado norte americano que também usa as unidades imperiais.

Na verdade verdadeira, tudo isto teve um gostinho de vingança e nacionalismo contra a tentativa de padronização considerada como uma imposição.

Resta-me o ponto de interrogação - não consigo estimar as distâncias em milhas (1609 metros), peso em libras (454 g) ou volume em galões (4,54 litros). Fico fazendo contas de cabeça e minhas estimativas usualmente estão erradas.

Sei que, num pub crawl, depois de 3 pints (1 pint = 568 ml) de cerveja, eu estou totalmente bêbado. Por experiência própria.

Fotografia cheers_europhotobloggers - originalmente publicada no Flickr por chrys.

domingo, 27 de maio de 2007

Mars UK e seu erro de Marketing - ou - como foi que descobriram que mudamos a fórmula de produto?

Entre as newsletters que recebo, quis partilhar um artigo desta semana sobre a Mars UK - fabricante inglesa do meu vício: Snickers - que me foi uma lição de Marketing.
A Mars resolveu alterar um ingrediente da sua formulação de chocolates. Isto permitiria uma redução razoável de custos e a empresa ganharia alguns tostões. Só um pequeno detalhe: o ingrediente era de origem vegetal e passou a ser de origem animal. Simples, não? Afinal de contas, todos os fabricantes, proprietários de suas fórmulas de produto, têm o direito de alterá-las quando bem entenderem. E foi isto que a Mars fez. Aí vem o próximo componente da história: a comunicação.
Aparentemente, a Mars avisou da reformulação discretamente (subrepticiamente) ao varejo numa carta. Não houve um comunicado público ou a inclusão da inscrição Nova fórmula. O conteúdo da carta é desconhecido, mas ela chegou a um representante de um grupo específico e poderoso: os Vegetarianos.
Tecnicamente, a nova fórmula substituiu uma enzima que é produzida por leveduras por uma enzima chamada quimosina procedente do estômago de bezerros latentes.
Imaginem o filme passando na mente dos Vegetarianos: bezerros que ainda não desmamaram são violentamente mortos, e ganaciosos técnicos da Mars abrem os estômagos dos pobrezinhos e coletam toda a renina para fazer deliciosos chocolates a baixo custo. Vejam os olhos esbugalharem com $ $, £ £, $ $, £ £, $ $, £ £,... Ouçam os bezerros berrarem. Sintam o cheiro do sangue.
Claro que não é bem assim, mas quis pintar o quadro com cores berran..., digo, fortes.
Uma chuva de cartas de reclamações caiu sobre a Mars - o lobby Vegetariano strikes back. Depois de se retratar publicamente, a Mars avisou quais produtos e com quais datas de validade eram vegetarian-friendly e ofereceu compensação àqueles que compraram o produto desconhecendo a alteração. E, last but not least, vão retornar à formulação livre de ingredientes de origem animal.
Pequena lição para fabricantes que vão alterando seus produtos sem a devida análise crítica da situação. Se os clientes descobrem que foram enganados, a desconfiança vai pairar por algum tempo sobre a empresa - que ainda vai ficar com a fama de gananciosa e soberba. Redução de custos também pode ser perdida por este custo invisível - a má fama.
Na minha opinião, este caso não deve obrigar empresas a engessar suas fórmulas, ter custos exorbitantes e ter que sair do mercado por causa disto. O que está em questão é a honestidade com que a situação é tratada. Possivelmente alguns consumidores poderão ficar insatisfeitos, e até mesmo deixarão de consumir o produto. Entretanto se sentirão seguros por terem sido comunicados e manterão uma referência de confiança para com a empresa. Isto chama-se segurança no relacionamento.
Não sou Vegetariano (já tentei ser, mas não rolou). Continuo a consumir o Snickers (vício é vício) mas considero a substituição do objeto do desejo por alguma outra marca.
Mars maker angers vegetarians with product reformulation - leia aqui.
Masterfoods and the vegetarianisation of food - leia aqui.
Conheça a The Vegetarian Society aqui.
O Comunicado de retratação da Mars - leia aqui.

Dia cinzento

Tenho caminhado na chuva, no frio. Isto faz a gente andar de cabeça baixa, para proteger do vento gelado. E fico reclamando do tempo, do vento, da chuva, da umidade, de tudo. Fico menos feliz. Conversando comigo mesmo num tom melancólico, acinzentado, espero que o sol apareça.
Só para que eu possa alinhar os ombros, abrir o peito, encarar o sol, cerrar os olhos e não pensar em mais nada. Sem pensar em nada, a mente está mais livre do que nunca, como pele esfoliada que se livrou das camadas mortas, como pele em carne viva pronta para se renovar.

terça-feira, 22 de maio de 2007

And then I don't feel so bad

Desafio para quem descobrir sobre o que é o video antes do final. Dá para desconfiar quem canta e a origem da música...

"Raindrops on roses and whiskers on kittens Bright copper kettles and warm woolen mittens Brown paper packages tied up with strings These are a few of my favorite things Cream colored ponies and crisp apple streudels Doorbells and sleigh bells and schnitzel with noodles Wild geese that fly with the moon on their wings These are a few of my favorite things Girls in white dresses with blue satin sashes Snowflakes that stay on my nose and eyelashes Silver white winters that melt into springs These are a few of my favorite things When the dog bites When the bee stings When I'm feeling sad I simply remember my favorite things And then I don't feel so bad"

Honesto, até que se prove o contrário

Uma das experiências mais interessantes daqui é que a premissa da sociedade é que os indivíduos são honestos. Para ter uma linha telefônica, é só ligar para BT, dar algumas informações básicas - nome e endereço - e a linha está instalada. Idem para conta de luz, sem contar que é você mesmo quem faz a leitura e informa via internet. O IPTU daqui, o council tax, pode ter 25% de desconto se você mora sozinho. Basta preencher um formulário on-line (de novo). Fazer tudo on-line, evitar receber as contas impressas e usar o débito direto, dá um desconto ecológico por evitar o papel (Salim volta a atacar). Ninguém precisa andar com documentos (talvez a carteira de motorista, e eu uso a do Brasil). Se alguma otoridade pedir identificação, o indivíduo tem 48 horas para se apresentar na delegacia com o documento solicitado. Fui trocar um produto num supermercado e, como não queria substitui-lo, o dinheiro foi retornado imediatamente - creditado imediatamente na conta via cartão do banco. Fiquei chocado - lá na terrinha, teria que escolher outro produto na loja, possivelmente ligeiramente mais caro e pagaria a diferença. Quando se chega aqui para ficar mais de 6 meses com visto, tem que se registrar na polícia indicando seu endereço. E se se mudar, tem que se apresentar de novo, e informar o novo endereço em 7 dias - simplesmente informar o endereço, sem necessidade de comprovantes, nem contas de luz telefone água, nem nada.
Agora, se eles descobrem que você está mentindo... você está no bico do corvo.
Esta não é uma sociedade perfeita ou utópica. Existem pequenos deslizes aqui e ali. Mas o conceito base é muito diferente do que estamos acostumados na terrinha.

segunda-feira, 21 de maio de 2007

D'après Amélie, après Rindu

Quando o Fabuloso Destino de Amélie Poulain inicia, somos apresentados aos pais de Amélie e a o que eles gostam e o que eles não gostam. Acho que a minha ligação perigosa Edmont já publicou algo a respeito - muito mais brilhantemente (visitem-no). Mas não resisti a adicionar um post a respeito e recomendo a todos que o façam um dia. Sorry Rindu - no copyrights, I guess.
Caco n'aime pas...
... quando está usando o mictório e há algum do seu lado que, quando faz uma forcinha, solta um sonoro peido.
... quando alguém tropeça nele e não se desculpa.
... quando sente vontade de ir ao banheiro depois que está deitado prestes a dormir.
... quando vê alguém ser injusto com outrém.
Caco aime...
... quando Emma Thompson cai no choro ao final de Razão e Sensibilidade.
... quando crianças estão falando em inglês com seus pais.
... banheiro limpo de restaurante.
... quando alguém tem a consideração inenarrável (falta o trabalho, acorda cedo num domingo, viaja milhares de km) para ir a um funeral, batizado, casamento ou aniversário.

domingo, 20 de maio de 2007

Marcha atlética

Eu caminho muito lentamente. Não sei se é o metabolismo, calor dos trópicos, preguiça, problema físico, sei lá. Simplesmente não consigo imprimir velocidade quando ando. Acho que me distraio fácil com as pessoas placas lugares pensamentos e não consigo fazer 2 coisas ao mesmo tempo (ainda bem que ainda respiro).
Tudo isto ainda é agravado com a velocidade com que os londrinos andam. A comparação não ajuda. Parece que estão sempre atrasados, sempre quase meio correndo. Caminhando, sou praticamente ultrapassado por todos na rua. Homens, mulheres, crianças. Ainda não reparei em nenhum idoso - é uma questão de tempo.
Acho que eles não aproveitam muito a caminhada.
Era só sair um pouco mais cedo de casa.

Breakthrough

Numa reunião há algumas semanas, ouvi algumas coisas que me fizeram ficar pensando.
Primeiro. Não dá para controlar o destino. Ele é fruto de uma conspiração de eventos simultâneos, tanta gente intereferindo, tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo. Não dá - é muita coisa - tem que parar de ser control freak. Segundo. Mesmo sendo uma boa pessoa, fazendo tudo certinho, as coisas podem dar errado. E, às vezes, dão mesmo. A gente tem que manter a tranqüilidade. Perseverar, acreditar no que é certo, fé em Deus e pé na tábua. Terceiro. As coisas não vão acontecer tão rapidamente quanto a gente acha que é o correto. O tempo de Deus é mais lento que o nosso tempo... A ansiedade não ajuda muito, e diferença de velocidade faz a mente descolar da vida. Quarto. Precisamos de um momento de ruptura. Se as coisas não estão tão boas assim, romper com o passado, fazer uma faxina no aqui-e-agora só vai fazar as coisas mais fáceis para o que está por vir. Breakthrough.

sábado, 19 de maio de 2007

Crianças desaparecidas (Madeleine McCann)

Madeleine McCann, 4 anos, seqüestrada da Praia da Luz, Portugal em 3 de maio de 2007.
Esta criança desapareceu misteriosamente enquanto dormia com seus irmãos gêmeos menores. De férias em terras lusas, os pais saíram para comer uma pizza a algumas centenas de metros de onde as crianças ficaram. A polícia portuguesa é maciçamente criticada pelo desempenho nas buscas. A mídia inglesa não dá trégua. Os pais, resilientes, permanecem em Portugal. JK Potter Rowling oferece recompensa por informações que levem à menina, David Metro Beckham idem.
Este post é um exercício de comparação e contraste entre as realidades mundiais.
Pausa.
O que poderia estar acontecendo no Brasil. Tantas crianças desaparecendo, tantas pessoas com suas vidas em destroços pelas perdas. Podemos, no mínimo divulgar.
Clique aqui para ser redirecionado para o site oficial da busca por Madeleine.
Clique aqui para ser redirecionado para o site brasileiro do Missing Kids.

sexta-feira, 18 de maio de 2007

Pick of the week: Snow Patrol, Open Your Eyes

All this feels strange and untrue And I won't waste a minute without you My bones ache, my skin feels cold And I'm getting so tired and so old The anger swells in my guts And I won't feel these slices and cuts I want so much to open your eyes 'Cause I need you to look into mine Tell me that you'll open your eyes Get up, get out, get away from these liars 'Cause they don't get your soul or your fire Take my hand, knot your fingers through mine And we'll walk from this dark room for the last time Every minute from this minute now We can do what we like anywhere I want so much to open your eyes 'Cause I need you to look into mine Tell me that you'll open your eyes All this feels strange and untrue And I won't waste a minute without you.

Herança

Com perplexidade, descobri que herdei a minha implicância da minha mãe.
Esta amável senhora, conversadeira, preocupada com seus filhos, esconde um lado irritantemente implicante que chega a ser quase engraçado agora que me dei conta dele. Acho que nunca tinha me apercebido porque todas as outras características dela são mais evidentes.
Como ela não se esconde sob o manto da seriedade, não é ranzinza. Mas a veia de atiçar, de fuçar, de conversar, de descobrir, de olhar, de perguntar, está lá. Eu, que herdei a seriedade do meu pai, fiquei com uma nuvem de casmurrice (como diria a Sra A.).
Ora, ninguém é perfeito.

(Con) Fuso (no) Horário

Minha vida está acontecendo em tempo real quatro horas à frente do que acontecia há 3 meses atrás. Meu fim de semana começa antes (bom), o trampo começa antes (ruim), são 20:30 e ainda não escureceu (bom). É como se estivesse num paradoxo do tempo, vivendo no futuro enquanto que boa parte da minha vida aconteceu num gap de 4 horas atrás. Estando aqui estou 4 horas mais perto da morte do que quando estava no Brasil. Pode soar mórbido mas é um fato - e, contra fatos, não existem argumentos.

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Nos meus dias de paz, nos meus dias de luta

De acordo com o Ira!, temos nossos dias de paz e nossos dias de luta.
Depois de morar mais de 10 anos no mesmo lugar, em 18 meses já me mudei 3 vezes, mudei de apartamento, então de cidade, então de país, então de apartamento de novo. Tem sido cansativo, traumático de certa forma, motivo de ansiedade e frustração a cada rodada de mudança. Meus dias de paz ultimamente têm sido few and far between. Resta-me a resignação de uma noite de descanso para resgatar as forças para o próximo dia de luta.
Até que toda a poeira baixa e tudo se acomoda.
Já passei pelo tempo de me perguntar o que estou fazendo por aqui, enquanto poderia estar na minha casinha, falando meu portuguesinho, com os meus bons e velhos amiguinhos, fazendo meu mestradozinho, cuidando da minha saúdezinha (porque, da minha vidinha, tem um monte de gente cuidando).
Quando entro nesta espiral, vou me distrair. Porque não faz sentido algum se questionar sobre isto. É perda de tempo e energia. Mas é sempre a reação inicial e mais óbvia.

quarta-feira, 16 de maio de 2007

Salim

Mudei-me. Agora tenho telefone, internet, TV License.
O registro na Polícia foi atualizado (não fiz nenhuma bobagem; todos os estrangeiros com visto de permanência têm que se registrar e comunicar mudança de endereço).
British Telecom demorou uma semana para instalar a banda larga e entregar o modem. Tudo feito pela internet, sem necessidade de um documento sequer, sem assinar nenhum papel.
Descobri que paguei £4,50 a mais na conta de telefone porque não optei imediatamente pelo débito direto na conta bancária - o que daria ainda £0,25 de desconto mensal se tivesse optado pela conta virtual - sem necessidade de papel. Naturalmente, o Salim aqui já alterou tudo e está garimpando outras alternativas de desconto...
... enfim, o FdG está de volta.