terça-feira, 7 de novembro de 2006

Sem tempo de gritar

Uma análise preliminar da caixa-preta do Boeing da Gol aponta que a tripulação não teve nem tempo de gritar, informou o Jornal da Band. A tripulação e os passageiros teriam perdido a consciência logo após a colisão.
As frases são cruéis, mas admitamos: não sofreram, nem souberam o que estava acontecendo. Me pergunto o que será que poderia ter passado pela cabeça daquelas pessoas na fração de segundo em que Legacy rasgou a fuselagem do Boeing. Talvez não acreditassem no que estaria acontecendo e pensassem vou cair na ilha do Lost. Como os corpos estavam muito espalhados na floresta, pode ser um sinal que estavam todos despreocupadamente nos seus assentos - possivelmente sem o cinto de segurança - tomando seu refrigerante ou comendo a barra de cereais (budget airline, you know). O avião em parafuso, se partindo, foi lançando as pessoas por todos os lados. Silenciosamente. Para dentro da floresta.

2 comentários:

flor meio murcha disse...

olá querido, também gosto deste teu blog. fico imaginando o que será que eles estariam pensando, melhor imaginar que eles não estariam pensando nada mesmo. isso é mais confortavel, e nós seres humanos que adoramos uma farça gostamos de pensar assim,no conforto.
então, encanta-me também cartas manuscritas com selo. você é do espirito santo, como gosto do espirito santo. prentendo me mudar praí daqui dois anos exactos,mas quero vitória, capitais me encantam.
me dê um contato seu? gostaria de manter conversas, que acha?
um beijo, :*

Caco disse...

Sim, é mais fácil nos manter na ignorância dos detalhes e poder mais facilmente esquecer.
Só passei por Vitória. Mande-me um postal de lá. Encantaria-me se fosse com selos.
Abraço & stay esteemed.