terça-feira, 31 de outubro de 2006

Spy shot

Uma nova esperança

Mesmo demorando 6 filmes, Darth Vader foi finalmente derrotado.
Esta é a minha esperança na vida.

Quero ser R.R.

Ganhei as eleições. Por uma diferença de 0,2%, míseros 10000 votos, menos do que a população de uma merreca de cidadezinha do interior. Mas ganhei esta porcaria. A imprensa me escurraçou. Meu candidato oponente me ridicularizou, me chamou de, por baixo, mentiroso. Uma cidade no norte do estado - a 2ª maior do estado - me humilhou com acachapantes 72% de votos para o meu adversário. Agora vão todos se ferrar. Como é que eu enfernizar a vida deles? Vou governar só para os grotões, aqueles bolsões de pobreza que me elegeram. Cidades grandes vão se virar por sua conta. Não sai nenhum centavo para nenhum vagabundo que não me elegeu. Se tiver de sair, vou enrolar para liberar até que me coloquem na Justiça. Vou pisar nos estudantes - vou rachar o bico vendo os professores da universidade sem estrutura. Segurança pública? Para quê? Eles vão precisar se proteger é de mim! Vai ter que ser Segurança do Poder Público! E estes jornalistas de bosta que ficaram me pressionando, me chamando de nepotista, vão ter que me agüentar porque toda a minha parentada vai ficar exatamente onde ela está - só para irritar.

(Livremente inspirado em Quero Ser John Malkovich)

segunda-feira, 30 de outubro de 2006

A lover sings (1984)

You and I are victims of a love that lost a lot in the translation.
When I think of all the time that I spent sitting on the edge of your bed in anticipation of you giving in and us living in sin.
A hot day, the smell of hairspray and the sound of a shower running softly:
it's things like this that remind me of how I felt the first time you came back for coffee - the way you took it amazed me!
Walking in the park, kissing in the dark, and my head against your pillow.
Late at night a lover's sings, "Adam and Eve are finding out all about love".
I say, "Adam and Eve are finding out all about love".
There is no real substitute for a ball struck squarely and firmly.
And you're the kind of girl who wants to open up the bottle of pop too early in the journey: our love went flat just like that.
It doesn't matter the colour of the car but what goes on beneath the bonnet.
Is there a flag that flies above your heart and is my name writ there upon it?
Wedding cake & toothache equals love & pain.
Walking in the park, kissing on the carpet and your tights around your ankles.
Late at night a lover thinks of these things: "Adam and Eve are finding out all about love".
I say "Adam and Eve are finding out all about love".
Teresa and Steve are finding out
all
about
love.

Billy Bragg. A Lover Sings. 1984.
É tão apaixonada e sexualmente inocente e perversa que eu não consigo fazer parar de ouvir. Voz e guitarra, só um cara tocando no seu quarto, sentado na cama. Bom e velho William Bloke. Trilha sonora para a semana. A vizinhança vai começar a reclamar.

domingo, 29 de outubro de 2006

Domingo, 29 de outubro (Vingança #10)


Valeu, Londrina. Enviamos nossa crítica nas urnas via Alckmin e Osmar. Agora, boa sorte para todos nós nos próximos 4 anos com os Srs. Lula e Requião.

sábado, 28 de outubro de 2006

Domingo, 29 de outubro (Vingança #9)


Você pode enganar todos algum tempo ou alguns o tempo todo.

Mas não dá para enganar todos o tempo todo.

Apagando endereços

Às vezes a gente tem que apagar alguém da nossa vida. Traz um pouco de ansiedade antes de fazer, desorientação durante, dor depois. Mas passa. Principalmente porque, exatamente durante o momento crítico, um zilhão de coisas está acontecendo - o mundo não pára. Assim como M. Coller apagava o endereço do seu recém-finado amigo M. Maginot da sua caderneta de endereço e a mosca batia asas, a toalha voava e um espermatozóide fecundava um óvulo.
Le 3 septembre 1973, à 18 heures 21 minutes et 32 secondes une mouche bleue de la famille de califoridae capable de produire 14670 battements d'ailes à la minute se posait rue St. Vincent à Montmartre. A la même seconde, à la terrasse d'un restaurant à deux pas de Moulin de la Galette le vent s'engouffrait comme par magie sous une nappe faisant danser les verres sans que personne ne s'en aperçoive. Au même instant, au cinquième étage de vingt-huit de l'avenue Trudaine dans un neuvième arrondissement, Eugène Coller, de retour d'enterrement de son meilleur ami Émile Maginot en effaçait le nom de son carnet d'adresses. Toujours à la même seconde un spermatozoïde pourvu d'un chromosome X appartenant à M Rafaël Poulain se détachait de peloton pour attendre un ovule appartenant à Mme Poulain, née Amandine Fouet. Neuf mois plus tard naissait Amélie Poulain.
Traduza, se quiser, aqui.
Este post vai para Ms. S., cujo endereço apaguei da minha lista de Dangerous Liaisons (mas ainda está no meu address book), e que, por sua vez, está apagando algum nome da sua própria lista. Também vai para J. e A. que vão se apagando aos poucos da minha memória.

Sábado de sol em Londrina

'If you cannot think of anything appropriate to say, you will please restrict your remarks to the weather.' Sense and Sensibility.

Londrina. 10 da matina. Tempo bom. Temperatura de 27°C, ventos de leste a 11 km/h. Dia absolutamente fabuloso. A vida pulsa lá fora. Consigo ver que a loja de enfeites já se preparou para o Natal. Preciso aguar as plantas na varanda. As pessoas vão apressadamente em direção ao Lago para fazer suas caminhadas matinais caminhar rapidamente nunca foi meu esporte favorito, prefiro curtir a paisagem. Os aviões baixam do céu em direção ao Aeroporto. Os ônibus dizem Bom Dia à cidade ainda vou colocar uma foto para mostrar isto. Outro sábado lindo. Vou para rua agora.

quinta-feira, 26 de outubro de 2006

Domingo, 29 de outubro (Vingança #8)

Apresento neste post o resultado da 'Pesquisa Não Oficial' lançada neste blog. Agradeço aos leitores que gentilmente se dispuseram a responder. Ficamos todos livres para inferências e conclusões.

terça-feira, 24 de outubro de 2006

Domingo, 29 de outubro (Vingança #7)

Tenho feito uma seqüência de posts menos politizados ultimamente. Acho que foi ressaca do 1° de outubro. Entretanto é inevitável pensar que 29 de outubro está logo ali, bem na esquina. Nós Brasileiros temos tido a oportunidade de assistir a uma seqüência de debates dos candidatos à Presidência. Oportunidade única numa democracia imberbe, com a nossa, mas que está amadurecendo e está se tornando mais consciente de suas opções. Dada esta imaturidade atual, temos visto a discussão de poucas coisas construtivas para o nosso futuro - como os programas de governo. Mas estes estão disponíveis na internet para quem estiver interessado - já fiz um post a respeito. Em vez disto, temos conhecido posturas dos candidatos e suas atitudes sob pressão. Ataques, defesas, retóricas, falta de brilhantismo, ironias e discurso de continuidade - muito disto atribuo a um reflexo do que é a nossa sociedade atual. Temos os políticos que merecemos, eles são fruto de nós mesmos eu você seu vizinho seu parente o militar o motorista de ônibus a perua do shopping seu professor e porteiro do prédio. Só a evolução de todo este grupo, e o nosso esforço ativo para evoluir, provocará mudanças. Eu tenho vontade de mudar. E você? Eu tenho vontade discutir, de trazer idéias, compartilhar, educar sem doutrinar. E você? O poder de mudança emana de nós. A palavra do dia? ética. Que a questionemos, então.

ética
do Lat. ethica <>ethiké
s. f., ciência da moral; moral;
Filos., disciplina filosófica que tem por objecto de estudo os julgamentos de valor na medida em que estes se relacionam com a distinção entre o bem e o mal.

ethic
noun [C usually plural]
a system of accepted beliefs which control behaviour, especially such a system based on morals


éthique
subst. fém. et adj.
PHILOS. Science qui traite des principes régulateurs de l'action et de la conduite morale.


domingo, 22 de outubro de 2006

Pick of the week: Morrissey, I have forgiven Jesus

O video original do Morrissey pode ser assistido aqui. A música é tão poderosa que mesmo este trabalho caseiro ficou excelente.



"I was a good kid, I wouldn't do you no harm. I was a nice kid with a nice paper round. Forgive me any pain I may have brung to ya. With God's help I know I'll always be near to ya. But Jesus hurt me when he deserted me, but I have forgiven Jesus for all the desire you placed in me when there's nothing I can do with this desire. I was a good kid. Through hail and snow, I'd go just to moon you. I carried my heart in my hand. Do you understand? Do you understand? But Jesus hurt me when he deserted me, but, I have forgiven Jesus for all of the love you placed in me when there's no one I can turn to with this love. Monday - humiliation, Tuesday - suffocation, Wednesday - condescension, Thursday - is pathetic. By Friday life has killed me. By Friday life has killed me. Oh pretty one, Oh pretty one! Why did you give me so much desire when there is nowhere I can go to offload this desire? And why did you give me so much love in a loveless world? When there's no one I can turn to to unlock all this love? And why did you stick me in self deprecating bones and skin? Jesus, do you hate me? Why did you stick me in self deprecating bones and skin? Do you hate me? Do you hate me? Do you hate me? Do you hate me? Do you hate me?"

Onde está Caco?


1977. Quase 30 anos depois, reencontrei algumas pessoas que estão na foto. Tive que tirar muita poeira de cima das minhas memórias. Lembrei de suas vozes e como riam e olhavam. Lembrei que um dia me engasguei com bala Soft, que o pátio tinha pedrinhas e um pé de tamarindo, que a freira tocava uma sineta no recreio, que eu dançava na festa junina. Acho que também começei a procurar pelo Caco que está lá na foto. Desde a época em que ela foi tirada, foi nascendo camada em cima de camada por sobre aquele moleque. Resolvi então remexer nas camadas, removendo arrancando algumas, deixado intactas outras. Queria chegar no coração naquele moleque. Sei que ele pode me explicar um monte de coisas. Um moleque de 6 anos.

Este post foi livremente inspirado pelo meu primo André que corajosamente sobreviveu ao mico de publicar a sua foto de turma de primário.

sábado, 21 de outubro de 2006

Encontrando velhos amigos

Nada melhor do que encontrar os velhos amigos. Aquela sensação de colocar em dia todos as histórias, a ansiedade de recuperar o tempo perdido enquanto distantes. É tratar o passado recente de forma gostosa e nostálgica. É saber que existe um mundo de histórias no futuro próximo que vamos curtir mais ainda poder compartilhar. É reforçar que um é parte indissociável da vida do outro, mesmo longe. É aproveitar para expressar o carinho e o cuidado para com o outro. É fazer saber que a gente se importa. É dar risada e continuar a conversa de anos atrás como se tivéssemos interrompido ontem. É aprender novas gírias, ouvir um novo sotaque. É saber que muita coisa mudou mas a velha mágica ainda está lá. É ser cúmplice só de olhar. Nada melhor do que encontrar os velhos amigos.

quarta-feira, 18 de outubro de 2006

Equilibrista na corda bamba com olhos vendados

Moldei uma personalidade que impede a observação da flutuação do meu humor. Pequenos incômodos ou pequenas alegrias não são capazes de alterar a máscara que visto. As alterações físicas são mais nítidas nos momentos extremos. A veia jugular que se se revela, o maxilar que se trava, o discurso que se torna monossilábico ou a risada que se instala, a cantoria que incomoda, o olhar que se despreocupa. Minhas palavras são poucas e podem enganar: sempre fui calado o bastante para que ninguém soubesse muito bem o que eu queria. E nesta vida poucos desenvolveram a habilidade de perceber os detalhes. Alguns por medo lamentavelmente, outros por desinteresse graças a Deus. Esta incapacidade de entrar em pânico no cotidiano é conseguida às custas de um equilíbrio forçado constante o equilibrista na corda bamba com os olhos vendados. Às vezes me pergunto se vale a pena colocar a venda nos olhos, se vale a pena pisar na corda bamba, se vale a pena.

terça-feira, 17 de outubro de 2006

Objeto do desejo #2: Citroën C4


Para começar, gosto do nome do fabricante - soa exclusivo quem mais hoje em dia usa tremas em marcas registradas? O desenho do carro é arrojado e a parte central do volante é fixo. Aqui não estou muito interessado em potência do motor ou quantidade de segundos para ir de 0 a 100 km/h. A única coisa é o impacto visual, é a capacidade de fazer os mortais pedestres acompanharem com os olhos cheios de inveja o carro enquanto ele estiver rasgando o asfalto.

Já tive um Peugeot - le Lyon du Désert - o leão do deserto. O maior problema foi a péssima assistência técnica no Brasil. Meu carro produzido ainda pelos hermanos argentinos foi brindado com um problema eletrônico que absolutamente ninguém conseguia resolver: ele tinha vontade própria e, às vezes, simplesmente não dava partida. E ainda por cima, sofria do efeito demonstração: nunca dava problema na concessionária mas me deixou na rua algumas vezes. Isto se resolveu de forma indireta quando eu bati com ele na estrada e tive perda total. Tomara que a Citroën não ofereça um serviço de assistance semelhante (apesar de ser do mesmo grupo da Peugeot) senão o C4 vai ficar só no desejo - não gosto de cometer o mesmo erro duas vezes.

E, para quem ainda não assistiu à propaganda em que ele vira um Transformer dançarino, fica aqui o link para o Youtube.

terça-feira, 10 de outubro de 2006

Objeto de desejo #1: A380

O Airbus A380 é o maior avião de passageiros do mundo. De acordo com a configuração desejada, poderão subir a bordo 555 passageiros. O esforço de construção é mastodôntico: partes são fabricadas no Reino Unido, Alemanha, Espanha e são montadas com as partes francesas em Toulouse. A engenharia envolvida é incrível - cobre desde o básico do trem de pouso até detalhes aparentemente frívolos como o processo de descarga nos vasos sanitários de toilletes.

Espero a minha vez de voar num destes - espero que seja na Business ou First, porque a Econômica vai ficar como a arquibancada do Maracanã em dia de Fla-Flu.

Só acho que vou ter que esperar um pouco porque o cronograma de entrega da Airbus está atrasado em 2 anos. Grandes projetos. Grandes atrasos. Grandes multas.

segunda-feira, 9 de outubro de 2006

Voto eletrônico

Na ressaca pós-debate, discutíamos a velocidade com que a apuração dos votos eletrônicos é feita hoje em dia. É ótimo saber dos resultados da votação em curto tempo: não dá tempo para instabilidade econômica, aquele período de respiração suspensa, em que ninguém sabe o que vai acontecer e começam a especular. O Sr. Y. - cuja nacionalidade não vou revelar - lançou a sombra negra sobre a discussão dizendo que nós, brasileiros, só temos o voto digital porque somos corruptos e poderíamos fraudar as eleições. Chutei a cadeira, o agarrei pelo colarinho e já fui o empurrando para cima da mesa transformando os copos em cacos e berrei 'temos voto eletrônico porque somos mais avançados nisto do que no seu país de m*, seu f*d*p*'. Respirei antes de começar a fazer isto. Daí encolhi os ombros e me calei.

domingo, 8 de outubro de 2006

Pesquisas nas eleições 2006

Segundo as Pesquisas: Lula seria re-eleito no primeiro turno. Yeda Crusius estaria em terceiro lugar nos Pampas Gaúchos - praticamente esquecida. Álvaro Dias venceria de lavada para o Senado pelo Paraná.

O que aconteceu: Teremos segundo turno nas eleições presidenciais. Germano Rigotto ficou fora do segundo turno no RS: Yeda ficou em primeiro com Olívio Dutra no seu encalço. Álvaro Dias deve ter contado voto a voto que a adevogada (sic) Gleisi foi roubando dele na trilha para o Senado Federal.

Há um acordo tácito: ninguém tem questionado as Pesquisas eleitorais - nem candidatos, nem a mídia, nem bloggers. O que aconteceu? Pois eu não vou falar, ...

Vou falar: erro na amostragem. Não na quantidade de pesquisados - este seria um erro muito simples - mas no caráter aleatório e distribuição da localização dos pesquisados. O Paraná vai a segundo turno devido ao votos do interior do estado - Londrina, Maringá - reação do agribusiness e da falta de segurança ao descaso do atual governo. Me pergunto se os pesquisados desta região foram em número insuficiente e provocaram um desvio nos resultados da pesquisa. Por abrangência, talvez isto possa ter acontecido também nas outras regiões.

Impensável antes, realidade hoje

Lembro-me de estar na faculdade na eleição presidencial que elegeu o Collor. A rejeição a ele era enorme e a simpatia ao PT de Lula, extrema. Não me lembro muito bem, mas acho que votei no Covas ou no Roberto Freire. Anos se passaram e hoje rejeito enormemente o PT e o Lula. Covas está morto mas Roberto Freire ainda tem comportamento exemplar. Tenho um adesivo no carro apoiando Alckmin numa coligação PSDB PFL. O que era impensável há uns 15 anos atrás, torna-se realidade hoje.

Hoje tem debate dos presidenciáveis na Bandeirantes, 20 horas. Imperdível.

sábado, 7 de outubro de 2006

Pick of the week: Lily Allen, Smile



When you first left me I was wanting more, but you were fucking that girl next door, what did you do that for? When you first left me I didn't know what to say. I've never been on my own that way, just sat by myself all day. I was so lost back then but with a little help from my friends I found a light in the tunnel at the end. Now you're calling me up on the phone so you can have a little whine and a moan and it's only because you're feeling alone. At first when I see you cry, yeah it makes me smile, yeah it makes me smile. At worst I feel bad for a while, but then I just smile, I go ahead and smile. Whenever you see me you say that you want me back and I tell you it don't mean jack, no it don't mean jack. I couldn't stop laughing, no I just could help myself. See you messed up my mental health I was quite unwell.

sexta-feira, 6 de outubro de 2006

Vou a qualquer lugar!

"Desse mundo louco, de tudo um pouco, eu vou levar pra 2001. Avançar no tempo e nas estrela fazer meu Ziriguidum. Nos meus devaneios quero viajar. Sou a Mocidade, sou Independente, vou a qualquer lugar! Vou à Lua, vou ao Sol, vai a nave ao som do samba caminhando pelo tempo em busca de outros bambas. Quero ver no céu minha estrela brilhar, escrever meus versos à luz do luar, vou fazer todo o universo sambar! Até os astros irradiam mais fulgor, a própria vida de alegria se enfeitou. Está em festa o espaço sideral, vibra o universo: hoje é Carnaval! Quero ser a pioneira a erguer minha bandeira e plantar minha raiz."
Ziriguidum 2001: Carnaval nas Estrelas. Mocidade Independente de Padre Miguel (1985) Veja aqui via YouTube.
Em pensar que falava em 1985 de um distante 2001 e já estamos em 2006. Este samba é muito para-cima, tipo sexta-feira, carnaval-fora-de-hora, feriadão. Fiquei cantarolando durante a semana sendo que as pessoas à minha volta se espantavam com o meu lado malandro-carioca que achavam estar esquecido sobre a terra vermelha do norte do Paraná.

Já confessei: sou carioca e não sei sambar. Adicione-se a isto: sou Mocidade, sou Independente, vou a qualquer lugar!

Múltiplas capacidades

"Em nota oficial divulgada nesta tarde, a executiva do PT anunciou a expulsão política de Oswaldo Bargas, Jorge Lorenzetti, Expedito Velloso e Hamilton Lacerda, envolvidos na tentativa de compra do dossiê que ligaria políticos tucanos à máfia das ambulâncias. A nota foi lida depois de o presidente do partido, Ricardo Berzoini, anunciar seu licenciamento do cargo por tempo indeterminado, enquanto durarem as investigações sobre o caso."
Clique aqui para ir até a fonte.
Incrível. Têm capacidade de serem corruptos e trapalhões. Ao mesmo tempo. Sem contar que são também capazes de respirar.

quinta-feira, 5 de outubro de 2006

Yes, but

Eternal L. foi para o divã de sua analista e levou os seus amigos bloggers junto com ela. Ainda bem, porque estou há semanas com a indicação para a primeira sessão mas tenho adiado descaradamente. Meu último estratagema foi perder o endereço - quão inócuo.

Gosto da teoria da sincronicidade de Jung, e fiquei interessado pelos perfis comportamentais desenhados por William Marston (Emoções de Pessoas Normais). Segundo o último, meu perfil é o D (dominance) - que reporta a poder, controle e assertividade. Sempre simplifico interessado no 'o que...?' Tenho também S (steadiness - reação à mudança) e quase nada de I (influence - interação com pessoas). Tudo isto conspira para que eu passe por sobre as coisas e as pessoas como um rolo compressor para atingir objetivos. Disse para Miss S. que o dela era C. C de compliance, conscientiousness ou caution - a resposta que dá às regras, regulamentos e autoridades, a pessoa 'yes, but...', a pessoa que sempre pergunta 'por que...?'.

terça-feira, 3 de outubro de 2006

Sir Ernest Shackleton

Sir Ernest Shackleton foi um marinheiro britânico obsessivo por chegar ao Pólo Sul antes de todo mundo no início do século XX. Tentou algumas vezes e foi mal sucedido em todas. Numa de suas tentativas, seu navio, o Endurance, ficou preso num banco de gelo à deriva até que foi completamente esmagado pela pressão do gelo. A tripulação navegou em barcos salva-vidas pelo mar gelado até a inóspita ilha Elephant - no meio do nada. Comida? Focas, pingüins. Finalmente, Shackleton e mais 2 membros da sua tripulação se aventuraram para buscar ajuda até a ilha Geórgia do Sul - no meio do lugar nenhum. Chegaram pelo pior lado da ilha e atravessaram picos gelados até chegar na área habitada. Sem GPS, sem internet, sem roupas com tecidos inteligentes, sem barra de cereais. Conseguiram encontrar ajuda e voltaram para resgatar os demais. Todos. Vivos. Isto aconteceu entre 1914 e 1916.

A primeira vez que ouvi falar do Shackleton foi numa revista de consultório médico. Aproveitei a espera quase infindável para devorar a reportagem. Depois tropecei no livro dele numa livraria. Não conseguia tirar os olhos das fotografias de Frank Hurley, que estava na expedição e fez um trabalho absurdamente memorável.

Um fracassado? Definitivamente não. Ele conseguiu liderar todo o grupo durante toda a adversidade e trazer todos de volta da enrascada, nem tão sãos mas salvos.

Você responderia a este anúncio e navegaria junto com Sir S.?
"Men wanted for hazardous journey. Low wages, bitter cold, long hours of complete darkness. Safe return doubtful. Honour and recognition in event of sucess."
Uma das coisas mais incríveis que ouvi sobre ele era que ele não procurava os mais brilhantes cientistas ou os marinheiros mais técnicos do mundo para sua expedição. Claro que era necessário uma devida habilidade para desempenhar as atividades, mas o mais importante era que os escolhidos fossem otimistas, bem humorados, pessoas com as quais tivessem prazer em estar. Isto faz sentido: seria mortal ter alguém pessimista ou reclamando (do frio, por exemplo?) o tempo todo em plena Antártica ou arranjando encrenca dentro do grupo. Posso dizer que aprendi isto com Sir S. e é o que sempre procuro na vida. I travel light.

domingo, 1 de outubro de 2006

Domingo, 1° de outubro (Vingança #6)

A série Vingança, livremente inspirada em V de Vingança, foi uma experiência interessante. Recuperei imagens e frases memoráveis do filme que me inspiravam para o momento político. O filme em si não retrata o momento atual brasileiro mas pode indicar como um povo pode se comportar perante seu governo. Acredito que a tônica desta eleição seja a discussão sobre ética, sobre o voto consciente. Espero ter contribuído um pouco para isto e estou muito otimista com os resultados. Talvez os meus candidatos não sejam eleitos, talvez os melhores candidatos não sejam eleitos. Talvez um pouco da escória ainda fique por aí. Mas acredito fortemente que algo vai mudar a partir deste 1° de outubro.

Para começar, muitos pesquisaram antes de votar. Afirmo isto porque o FdG teve o número de acessos praticamente duplicado em Setembro. Momento Ponto de Interrogação. Adoraria que estivessem procurando este blog, mas fiquei mais feliz pelo fato de que as pessoas chegavam aqui após usar uma ferramenta de busca qualquer procurando pelo site Perfil Transparência onde encontram-se históricos de candidatos à reeleição à Câmara dos Deputados. Bom sinal, não?