domingo, 6 de agosto de 2006

Quanto absurdo

Sr. J. reclama comigo que acha um absurdo que tenha recebido uma multa por andar a 130 km/h na estrada. Sr. P. fica indignado porque Suzane Richthofen pode sair da cadeia em pouco tempo e que ela devia ficar lá pelo resto da vida. Srta. A. que escreve mal em português odeia sua colega de trabalho fluente em inglês que foi mandada para a Inglaterra em vez dela.

Para mim é tudo a mesma coisa.

Vivemos em sociedade. Existem regras a serem cumpridas tanto por você quanto pelos outros. O não cumprimento implica em penalidades. Tão simples como isto. OK, você não concorda com as regras. Você as acha injustas principalmente quando aplicadas a você. Minha pergunta: o que você faz para mudá-las? O quanto você as questiona? Burlar as regras pode ser relativamente fácil. Entretanto você vive na corda bamba de ser pego a qualquer momento. E aí, meu caro, não me venha chorando as pitangas.

Daí, alguém faz algo absurdo, e todos passam a reclamar que a penalidade foi injusta. Se confiamos na Justiça, a penalidade foi a que possível de ser aplicada. Se os advogados fazem manobras, é uma pena, mas é porque a lei permite. Ficar vermelho de raiva adianta? Adianta se fizermos algo para mudar a lei como um todo - apoiando renovação das leis, questionando nossos amigos, vizinhos, orgãos governamentais, representantes no congresso, e até mesmo bloggando - veja minha ligação perigosa FdO.

Por último, tem aqueles que culpam o mundo e incriminam o destino por suas mazelas. Estes podem ser tão cansativos. São capazes de drenar a energia e vigor de qualquer um à sua volta. O sucesso de outros é o gatilho para um discurso destruidor, niilista, sem dó. Novamente, esqueceram de olhar para seu próprio umbigo: escondido, imperfeito, sujinho até. Esqueceram de fazer a sua parte para chegar .

E será que você pode fazer algo a respeito?

2 comentários:

The human who sold the world disse...

Ei, obrigada pelo link!!! E pela visita!
:-)

Gin@ disse...

Cá em Portugal costumamos atribuir a culpa de tudo e mais alguma coisa que corra mal, inclusive a má gestão de leis ao "estado", isto é, aos governantes. Eles são sempre uma boa desculpa para o nosso comportamento pouco cívico...
Parabéns pelo blog e obrigado pela visita! ;)