quinta-feira, 13 de julho de 2006

Zidane não é jogador de várzea

Sim, eu torci pela Itália na final. Ou melhor, eu torci contra a França.
Torci contra aquele futebol medíocre que eu vi na primeira fase.
Achei deplorável a atitude do Zidane, uma vergonha em fim de carreira.

OK, mas aí aparece a leitura labial e o que o Materazzi teria dito para o Zidane. Ofensas dirigidas à família - particularmente mãe e irmã - de um indivíduo de origens muçulmanas neste caldeirão religioso em que vivemos. Sem contar as potenciais e não confirmadas associações ao terror. O sangue entrou em ebulição.

Acho que o meu sangue ferveria tanto quanto o de Zidane. Mas será que, do topo de sua experiência, Zidane não poderia ter tido um maior auto-controle? Ele já não era mais nenhum jogador de várzea para entrar em confusão a cada jogo de domingo. Fim de Copa do Mundo, fim de carreira: talvez ele poderia ter dado um final com toque de classe ao Materazzi.

A atitude de Zidane, isoladamente falando, foi deplorável. As palavras de Materazzi, idem. Não, não se pode perdoar nem a um nem ao outro.

2 comentários:

flor meio murcha disse...

tenho julgado deploravel toda esta discussao sobre futebol e os respectivos jogadores.
algo que me faz pensar num cansaço ou me fazer comparar o quao chato é lavar panelas num domingo de inverno,
mas confesso que acho interessante as opinioes alheias,eu é que nao opino.
quantos anos voce tem?

Omar disse...

Eu tb torci contra a França, mas vamos falar a verdade, o time da Itália é horrível, pior q o da França, se eles não tivessem derrubado o Brasil, eu acharia uma injustiça a Itália ter ganho!
Sobre o Zidane, a meu ver ele de ter um país inteiro esperando q ele resolvesse a questão, eu acho q foi a mesma coisa q aconteceu com o Ronaldinho Gaúcho, é difícil dizer q o Zidano errou ao fazer o q fez, na televisão dá p/ ver q ele tentou ignorar, mas as circunstâncias do momento fez o seu sangue argelino ferver e deu nisso!